Disfarce o gosto do peixe e passe a consumir o alimento
Se você é do tipo que torce o nariz para os peixes, já deve ter levado um puxão de orelha ao ouvir falar da lista de benefícios que esse alimento traz para a saúde. Rico em ômega 3 e outras gorduras que fazem bem para a saúde, os peixes não contribuem - e muito! para você emagrecer com saúde, como ajudam a prevenir doenças cardiovasculares. As vantagens do consumo para o raciocínio rápido também são muitas, como mostra um estudo feito em 2011 na Escola de Medicina na Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, que indicou que comer peixe assado ou grelhado pelo menos uma vez por semana já protege o cérebro contra doenças degenerativas, como o Mal de Alzheimer. Isso acontece porque o peixe impede que as células do nosso cérebro responsáveis pela memória morram mais cedo do que deveriam, fazendo o cérebro funcionar melhor. Mesmo sabendo de tudo isso, tem gente que não consegue nem sentir o cheiro de peixe no restaurante, quem dirá o sabor do alimento. "Mas existem opções simples que disfarçam o gosto do peixe sem provocar nenhuma perda nutricional no preparo", afirma a nutricionista Paula Castilho, da Sabor Integral Consultoria, em São Paulo. Ela e outras especialistas dão as dicas para você deixar sua dieta ainda mais poderosa. Combine com saladasSe você sente calafrios só de pensar naquele filé enorme de peixe no meio…
Compartilhe nas redes sociais:
Consumo de peixes pode ajudar a aliviar artrite reumatoide, diz estudo
Manter uma dieta equilibrada e saudável é essencial para alcançar uma qualidade de vida maior. Esse hábito contribui para a melhora no sistema imunológico, na qualidade de sono, no trânsito intestinal, no humor, na capacidade de concentração e para a perda de peso, além de reduzir o risco de diversas doenças. De acordo com um novo estudo, o consumo de peixe pode ser um excelente aliado em tratamentos de artrite reumatoide, uma doença crônica autoimune que tem como sintoma principal a inflamação articular. A pesquisa, publicado no "Arthritis Care and Research", investigaram 176 pacientes com a doença, verificando a frequência com que consumiam peixe em um período de um ano. Foram selecionados peixes com maior teor de óleo de Ômega 3, como o atum, salmão e sardinha. Os peixes fritos não foram incluídos no estudo, isso porque os pesquisadores acreditam que a fritura reduz o teor de Ômega 3. Para a análise, os pesquisadores examinaram os níveis de inflamação, medidos por testes de um marcador no sangue chamado DAS28-CRP. Os resultados mostram que pessoas com artrite reumatoide que comeram peixe pelo menos duas vezes por semana relataram ter um menor inchaço e sensibilidade nas articulações do que aqueles que raramente ou nunca fizeram. Além disso, os achados sugerem que os indivíduos que consumiram porções de peixes mais do que duas vezes na semana, eram menos propensas a ter os sintomas…
Compartilhe nas redes sociais:
As melhores espécies de peixes para a sua saúde
O peixe é um alimento muito nutritivo independentemente do tipo. "É rico em proteínas, iodo, fósforo, cálcio - possui quatro vezes mais este nutriente que os outros tipos de carne - vitaminas A, E, do complexo B e D", constata a nutróloga Valéria Goulart, diretora da Associação Brasileira de Nutrologia. "Mas, sem dúvida, seu principal nutriente é o ômega 3". É o ômega 3, uma gordura poli-insaturada, que proporciona boa parte dos benefícios do peixe. Portanto, as espécies que tiverem maior quantidade deste lipídio serão as melhores para a sua saúde. Conheça sete tipos que são ricos em ômega 3 e como eles podem ajudar em diversos problemas, como evitar complicações cardíacas, combater o diabetes e até mesmo prevenir a depressão. ArenqueEste peixe é de água fria e isto já o ajuda a ser mais nutritivo. "Como ele vive em um ambiente frio, tem tendência a acumular moléculas que são excelentes para a saúde, as gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas", afirma a bióloga Lícia Maria Lundstedt da Embrapa Pesca e Agricultura. Então, as concentrações de ômega 3 no arenque são altíssimas. "100 gramas do alimento possui 1,2 a 3,1 gramas do lipídio", diz a nutróloga Valéria Goulart, diretora da Associação Brasileira de Nutrologia. Para se ter uma ideia, a quantidade diária recomendada do nutriente é cerca de um grama. Um dos principais benefícios do ômega 3 é o controle do colesterol,…
Compartilhe nas redes sociais:
Peixe no prato é aliado da memória
Comer peixes como o salmão e o atum, ricos na gordura insaturada ômega 3, pode ser uma ótima alternativa para blindar a memória e garantir um envelhecimento saudável. Os créditos do benefício vão para a ação do DHA, um ácido graxo contido no óleo "bom" dos peixes, segundo apontaram dois estudos apresentados na Conferência Internacional de Mal de Alzheimer. Uma pesquisa recente avaliou que pessoas com 55 anos de idade ou mais, que apresentavam queixas de memória, e consumiram suplementos nutricionais do ácido, uma vez por dia, apresentaram quase o dobro de redução dos erros em testes de aprendizado e de memória, quando comparados com os participantes que tomaram um modelo placebo. O benefício é semelhante ao apresentado por pessoas cerca de três anos mais jovens. Dicas para um melhor aproveitamento da suplementação nutricional Os nutricionistas são unânimes em afirmar que a melhor fonte para obtenção dos benefícios dos nutrientes é ter sempre uma boa alimentação. Porém, em alguns casos, é necessária a suplementação nutricional com cápsulas contendo os nutrientes em questão. Para que essa ajuda complementar seja realmente eficiente, principalmente em casos como os de perda de memória, não adianta tomar qualquer cápsula que diz conter ômega 3. Alguns atributos farmacotécnicos, como teor padronizado de ácidos graxos essenciais poli-insaturados (mín.18% EPA e mín.12% DHA) e controle de substâncias que podem oxidar o óleo são essenciais para que a suplementação…
Compartilhe nas redes sociais:
Pagina 11 de 11